22 de jan de 2009

Da série "Lições (quase) aprendidas"

Outro Mestre

Ali mesmo,

Na calçada,

Ele muito me falou.

Ensinou-me sobre o tempo,

Sobre Deus,

E, outro tanto,

Sobre o amor.


Falava com segurança,

Meiguice,

E atenção,

E uma paz tão grande,

Que cada palavra sua

Tocou meu coração.


E, dali mesmo partiu,

_“Não há tempo pra demora”.

Não disse-me onde ia,

Ou se um dia voltaria.

Seguiu sua jornada

Claramente definida.

Foi na direção do vento,

Sem destino,

Mundo afora.


Entristece-me não saber o nome

Daquele sábio,

Meu amigo.

Creio, apenas,

Que era um rei,

Com aparência de mendigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário