16 de mar de 2019

Fulminante


Um dia qualquer,
preguiçoso
sem amor
sem motivos
sem tesão.
Apenas seguia
       meio que por obrigação
muito mais por falta, que por opção.

Mas, de repente,
como um estalo
uma pontada
um tiro certo.

Foi fulminante
No inverso de um infarto
acometido por vida súbita
E, ainda jovem
o velho homem,
inesperadamente,
       e de repente,
sentiu-se vivo.

16 de fev de 2019

Despedida


Vestiu-se de simplicidade
Esboçou um sorriso irônico e divertido
            Como quem curte o momento
            Como quem curte com a gente
Ele gelado,
Minha alma vazia.
Ao longo das horas, poucas lágrimas caíram.
Dor
Tristeza
Alívio
Arrependimento
            E os sentimentos afloram,
Misturam
Se fundem.
Confundem.
Gritamos no silêncio
Nos calamos nos ruídos.

Ele, elegante
Simples
Irônico
Gelado...
Permaneceu indiferente ao burburinho
Não se moveu, mas enchia o ambiente.
Não falou, mas foi ouvido como nunca.
Estava ali, mas era a maior ausência.

Ele, sereno, impassível.
Eu, inquieto, não preguei os olhos
Aproveitei cada segundo das últimas horas.
Eu, filho tantas vezes ausente,
Nessa noite não arredei pé.
Nem ele.

Simples,
elegante
E com sorriso irônico.
Foi assim que, na noite entre os dias 13 e 14 de fevereiro de 2019
Seu Durvalino, meu pai
Se reuniu pela última vez com os seus.
Ouviu declarações,
Choro,
Devaneios,
Pirações.
Deu a todos nós mais uma chance.
A última, intempestiva.
Sem pressa e sem reação, ouviu.

Pela manhã, às 10
Embarcou em sua viagem
Sem mala
Sem bens
Sem riqueza nem pobreza
Escala? talvez, quem sabe?
E, para nossa dor, alívio, arrependimento, vazio (...)
Definitivamente sem volta.

Siga em paz, seu Durvalino
Muito obrigado...


19 de jan de 2019


Vivo criando sonhos,
Ilusão.
Passeando entre as nuvens,
Imaginação.
Navego águas profundas,
Imensidão.
Por vezes enfrento tormenta,
Furacão.
Tem momentos de alarido,
Multidão.
E de pesado silêncio,
Solidão.
Se agitado, grito ao universo,
Exasperação.
Mas, se tranquilo, falo comigo,
Oração.
Quando me tocas, me excito,
Tesão...
E sigo a vida assim, ouvindo  sempre o melhor guia,
O coração.


Busca


Busco cores e perfumes
Amores calmos
Turbulentas paixões
Desertos onde germinar
Ou lagos tranquilos, para me afogar
Crepúsculo bonito, para despertar
Amanhecer chuvoso, para me entristecer
         Ou me alegrar.
E busco seu abraço
Que é onde quero me aninhar.

Recomeço


Crio sonhos
Expectativas
Me iludo
Creio em promessas
            Inclusive nas minhas
Quebro a cara
O coração
As promessas
Perco o chão.

Outro gole,
Olho pro lado
Refaço planos
Redefino rotas
Reedito a história
E, ao tentar reescrever
Apenas refaço outros trechos
dos mesmos caminhos
E recomeço, do início
o que acabei de terminar!

Farol


Sorriu
Iluminou tudo
            O mundo
            O ambiente
            Minha vida
Alegra-me teu riso
Sua felicidade também é minha
Seu riso me encanta
Seus olhos apontam caminhos
Sua alegria contagia
Sua vida define a minha.

Da série "Naza Erótico - Gourmet


O Empório é Gourmet
Nós dois aqui
E eu só penso em rimar...