3 de mar de 2017

Vazio

E há dias em que se sente esse vazio,
Imenso,
Amargo,
E cheio de angustia.
Não é um vazio que expande.
É um vácuo preste a implodir,
Te levando embora
                Pra dentro,
                Pra fora,
                Pra longe
                Pro fim...
Como uma super nova,
Ele ameaça engolir tudo que existe
                Dentro e fora de você.
Mas não o faz,
Pois nem ele se suporta.
E com a pressão, e força de atração de um buraco negro,
Sente repulsa de seu sabor,
Sente náuseas por sua dor
E, em um esforço paradoxal,
Tenta se vomitar...


Árido

Ao longe,
Do deserto,
O navegante fita o mar.
Com paciência e atenção, tenta desvendar seus mistérios
                Que julgava conhecer...
Hoje sabe que, a aparente calmaria pode ocultar violenta tempestade.
Onde havia porto, não há mais cais.
E suas águas, não permitem mais a navegação.
O navegante chora de saudade
Da aventura tranqüila, que era navegar,
Das descobertas e emoções, que era mergulhar,
Da beleza, por tanta vida,
Pela liberdade, vivenciada e oferecida,
Da segurança, pela certeza de poder aportar.
Da certeza de que o mar seria sem fim...

O navegante fita o mar,
Sonha em poder sair do deserto, e se refrescar novamente.
Reza para que a turbulência logo passe,
E, que ao menos o oceano encontre Paz.
Que tanta cor, perfume e energia,
Não se mate com o sal,
Não se polua com ácido,
Não se envenene com o ódio
Não congele nem evapore.

Ao longe,
Do deserto
O navegante fita o mar, sabendo que sempre irá fitar.
Sabe que há Oasis,
Rios, lagos e montanhas,
                E certamente irá se aventurar em outras paisagens
Mas não irá perder de vista o oceano,
Pois nunca vislumbrou, em outro lugar, tanta vida...



29 de set de 2016

Crescimento

... Estou lembrando,
Não sei bem de quando.
Talvez tenha sido bom.
Acho que foi.
Sinto saudades e choro.
O Tempo passou,
Deixou suas marcas e não parou.
Continua seguindo seu curso ininterrupto,
Me levando com ele,
Me tornando forte, para me aceitar como sou,
E ser feliz.
Observo de longe meus antigos horizontes,
Não estão mais à minha frente.
Não fui quem esperava,
Fui quem podia ser,
... Apenas eu mesmo.

Vias

Percorrer caminhos
sem precisar caminhar.
Viver fantasias,
sonhar concretudes,
explorar a imensidão,
ou apenas aconchegar-se.
Na música ou na poesia,
o importante
          é a imaginação.
Remédio pra toda dor.
O tempo é mesmo sábio,
agora chove, e faz calor.

Cardápio

Na noite fria, o pobre
garoto se alimenta de música.
O mendigo da flauta doce!

28 de set de 2016

Outras marcas

Olho momento.
Observo aonde cheguei.
Se fui longe,
ou já é tarde,
Quem poderá afirmar?
Exibo, e sinto, as marcas de onde passei.
Alguns, como belas tatuagens,
outras, horríveis cicatrizes.
Mas todas seguem comigo
lembrando-me quem fui
e todos que sou.
E trago comigo uma legião.
A cada instante, um novo eu.
Em cada lugar, nova história
Por vezes apenas recontada.
Se, dúvidas e certezas definem tudo que sei
e formam consciência, caráter, princípios, desvios
Estou cada vez mais certo de que,
É menos a geografia, e muito mais a cronologia, responsável por me talhar.
Posso não me lembrar de cada canto onde passei.
Mas não consigo, mesmo que queira, me esquecer de quando eu venho...