18 de jan de 2013

Santa


E tem o cabelo,
Emoldurando o lindo rosto.
A pele macia,
Falsamente delicada.
E os olhos,
Refletindo beleza, e mostrando a alma.
Os lábios,
Vermelhos, maduros, deliciosos.
As coxas,
Laço de onde não se quer sair.
O sorriso,
Livre, fácil, verdadeiro e ácido.
                Encantador.
O caminhar que hipnotiza.
Os gestos que envolvem.
A voz que faz calar.
O toque que acende.
O abraço que liberta e prende.

Tão perfeita,
Na medida e no modelo.
Perfeito encaixe.
Plena entrega.
Total compreensão
Cúmplice,
Companheira.

É só bondade, essa mulher
Na amizade e na paixão.
Solidária e fraterna,
Sem distinção de qualquer tipo.
Dá-se, assim, a todo mundo,
O tempo todo. Todo dia.
A noite vai pra casa,
Dar-se igual ao seu marido
Que, como todos,
                (E tantos mais)
Lhe tem o mais profundo amor...

16 de jan de 2013


Não faz sentido
Não via o rumo
Não tinha norte
Perdeu o passo
Passou o tempo
Se foi o rio
Soprou o vento
Rasgou-se a vela
O barco virou jangada
Virou naufrago
Perdeu o fôlego
Perdeu a força
E, sem vontade,
Perdeu o sentido
Todo sentido.
Sem direção ou sentimento
Perdeu a fé
Cessou o grito
Perdeu a voz.
Quis fazer precisa a vida.
Não aceitou a imprecisão.
Não foi feliz
Precisou ter sido
Por fim, assim,
Tanto perdeu
Que chegou ao fim
E lá chegando,
Se perdeu de si...