29 de jun de 2012

Pequeno manifesto


Mesmo que não seja festa, cante,
Em qualquer estação, plante,
Quando sentir vontade, dance,
Já cresceu? O que importa
Corra,
Pule,
Brinque.
Magoaram você? Perdoe!
Faz tão bem, até para os outros.
Sempre que valer à pena, lute.
Apaixone-se sempre,
Mas seja, e deixe, livre, sempre.
E lembre-se que a liberdade é agridoce.
Ame, mesmo quando achar que não merecem.
O amor que você sente é só seu,
E só você pode senti-lo de fato.
Seu amor pode até tocar o ser amado,
                               (Pode, nem sempre vai)
Mas certamente transformará você.
Apaixone-se o tempo todo.
Se morno, nem o cafezinho matinal,
Por que deixar esfriar a vida?
O mundo é seu,
Mas a Terra, essa jamais terá dono.
Então respeite-a
E compartilhe-a.
Não mate seus sonhos,
Entre felicidade e riqueza, não tenha dúvidas.
Se a vida te oferecer, não será caridade,
nem por acaso.
Você merece (e isso vale para absolutamente tudo).
Aquilo que não te mata, nem sempre te fortalecerá.
Dependendo da dose, certas delícias podem mesmo te matar.
A vida já é estrada,
Cabe a cada um fazer dela caminho.
Se o que temos são pés,
E não raízes.
Aproveite seu tempo.
Torne reais seus sonhos bons.
O universo já fez acontecer,
então faça valer a pena.
Afinal, nossa principal missão aqui,
É ser feliz...

Um comentário: