4 de ago de 2010

Esta noite, a(s)cendi você...

Era noite escura, como são as noites.

Mas não estava fria,

Nem era assustadora.

Então ascendi você, e um novo brilho enfeitou meu Céu!


Eu não estava triste, ou solitário.

Estava em Paz comigo

Cantarolava e sorria.

Por isso acendi você, e aquela velha alegria me visitou!


Não foram saudades que machucam.

Foram as boas lembranças, que me fizeram ascender você.

Não quis brigar.

Tampouco relembrar o que houve de ruim em nós.

Quis sentir você outra vez.

Compartilhar felicidade, a mesma que era nossa, e que ainda está em mim.

Abraçar você, envolver-te e ser envolvido por seu calor.

Então acendi você, lembrando as coisas boas que a gente fez.


Por onde você acha que andas, não sei!

O que julgar ter feito de sua vida, sequer imagino!

Os motivos te fazem sorrir agora, me são desconhecidos!

Sei, no entanto, do bem que me fez,

E de como alterou minha vida.

Sei dos meus motivos para sorrir, e do que me faz ser sempre feliz.

E, sei também onde você se encontra.

Como pode não saber, eu te conto enfim,

Que em noites como esta, em que te ascendo,

Você está lá, no Céu, brilhando forte.

É minha maior estrela.

E também, desafiando a física, está aqui.

Acesa e forte, dentro de mim.

Um comentário:

  1. Naza

    Vc está demasiadamente prolixo seja por inspiração do ocio criativo ou a nulidade da vida frente as palavras. De modo que se ainda sei leeer entendo que há algo a nascer na Imeeeensidão do seu Ser. É isso.
    Carpie Diem Forever...
    Nilton Cesar

    ResponderExcluir