11 de mai de 2013

Espera


Na velha casa
ela espera, pacientemente.
Vez em quando olha pro Céu,
  - Não há mais preces em seu silêncio
O filho jamais voltara...
Sem coragem, ou esperança,
apenas espera o corte do fio da moiras.
Ou que outra aranha, lhe ofereça
mais um véu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário