12 de ago de 2012

Estrelas, infinitos e universos...


Isso que acontece quando te vejo.
Não que eu perca o controle,
Ou que eu perca o chão.
Não.
Nada disso.
Mas sim, me dispara o coração.
Lindíssima amiga,
É que seu corpo lindo fala com o meu.
Sua voz rouca, suave e forte,
Acaricia meus ouvidos,
como poema e canção.
Tem essa energia que vem de ti,
e envolve tudo ao redor,
como o Sol, que ilumina e aquece,
Como água alimenta a vida,
Você chega.
E a vida se alegre mais,
Minha felicidade fica mais feliz.
E eu me sinto assim.
Como criança com seu brinquedo preferido,
Como mulher de sapato novo,
Como lábios no melhor beijo.
Eu fico...
Inebriado,
meio embriagado,
quase envenenado.
Mas quero mais.
Quero sentir nas veias o fatal veneno do seu escorpião,
(Que alguém já o disse doce...)
Belíssima querida,
quero seguir a, quase psicodélica, estrela
que emprestastes de Davi.
Me perder em seu infinito,
deixar que seja meu universo.
Ter seu amor,
e me esforçar para merecer.
E me tatuar em você,
pois você já está gravada em mim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário