13 de out de 2011

Erros


Era pra ter sido beijo, o silêncio que foi.
Devia ter sido abraço, a frieza sentida.
Era pra ter sido sorriso, não a tristeza explícita.
Era pra ter sido palavras carinhosas,
não a mágoa que tinham no olhar.
As mãos deviam afagar, não acenar o adeus.
Deviam ter sido companhia, não separação.
Era pra ter sido ponte, não encruzilhada.
Agora seria felicidade presente,
não essa lembrança triste.
Mas não souberam se entender
Erraram a dose.
Não souberam se dar,
Ou se deram sem medida.
Interromperam a canção
Mudaram a rota,
foram cada um em uma direção.
Se perderam do riso,
Se afastaram da alegria.
O arrependimento veio tarde.
Nunca mais se encontraram.
Vivem tristes, perdidos em algum lugar.
Só restam lembranças.
Nunca mais foram vistos juntos.
Nem separados...

3 comentários:

  1. Magnífico poema. euforicamente triste.....
    "Erraram a dose.
    Não souberam se dar,
    Ou se deram sem medida."
    Amei!!! xero Ana

    ResponderExcluir