3 de mar de 2017

Vazio

E há dias em que se sente esse vazio,
Imenso,
Amargo,
E cheio de angustia.
Não é um vazio que expande.
É um vácuo preste a implodir,
Te levando embora
                Pra dentro,
                Pra fora,
                Pra longe
                Pro fim...
Como uma super nova,
Ele ameaça engolir tudo que existe
                Dentro e fora de você.
Mas não o faz,
Pois nem ele se suporta.
E com a pressão, e força de atração de um buraco negro,
Sente repulsa de seu sabor,
Sente náuseas por sua dor
E, em um esforço paradoxal,
Tenta se vomitar...


2 comentários:

  1. De uma sensibilidade que toca e cala fundo! Parabéns por tão lindo poema! abraços, ania..

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Ania. Volte outras vezes.

    ResponderExcluir