9 de dez de 2013

Busca

Se sigo livre nessa aventura,
como navegante em leito perene
Penso então, que não há o tempo,
como infinita eternidade.
Há o passado como lembrança,
e o futuro como saudade
de cada dia que vou viver.
E nesse tempo, que não começa
para não ter que terminar,
vivo o futuro de cada instante,
vendo o passado que vai chegar.

Vou construindo essa estrada,
a cada passo,
cada pegada.
Refazendo hoje, nova jornada.
É assim que sigo,
morrendo muito
vivendo um pouco.
entre alegrias e algum sofrer.
Perseguindo a ilusão do tempo
até o momento em que vou morrer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário