5 de abr de 2012

Da série "delírios n Bar Rio" - Céu de brigadeiro

O desejo então retorna,
De voar como condor,
Colibri, gaivota, urubu.
De voar como qualquer pássaro.
De livre voar.
E quando me vem a saudade
Das águas límpidas do frmoso,
Da alvorada dos negros pássaros,
Dos dias diferentes, enfim,
Não controlo o coração
E, não sendo como Ícaro
Vôo na imaginação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário