15 de ago de 2009

Casas que construímos

Se for apenas para morar, pode ser chamada de residência.

Se for o local onde se vai pra repousar, dormitório.

Se dela não saímos, talvez seja prisão.

Se nela se fortalecem as famílias, então é um Lar.

Se reinar a harmonia, certamente é refúgio.

Se for habitada por crianças, é meio que um pedacinho do Céu.

Também pode ser motel,

Bordel,

Local de tortura,

Escritório,

Consultório,

Loja,

Parque,

Esconderijo,

Biblioteca,

Cinema,

Caverna,

Ilha,

Bagunça,

Sinônimo de alegria ou de tristeza.

Enfim, fazemos de nossa casa aquilo que existe dentro de nós.

E damos a ela, a forma que tem nosso coração e nosso espírito.

Tenho dúvida se somos nós que habitamos a casa, ou se é ela que nos habita (enfim encontrei um bom exemplo de recursividade...).

De todo modo, o que a torna forte, é menos o cimento e os tijolos, e muito mais os sentimentos que ali existem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário